Quais são eles e as diferenças entre eles?

o rescisão do vínculo empregatício É sempre uma questão delicada na relação entre empregado e empregador dentro das empresas. Isso porque, além da questão emocional de uma saída, há inúmeros obrigações trabalhistas em torno dela. E cada um dos tipos de demissão Eles têm suas particularidades. Quanto ao que a empresa precisa cumprir, no pagamento de multas rescindidas, às quais o empregado tem direito.

Cada um dos tipos de demissão que traz consigo regras legais e obrigações. No entanto, é comum que as empresas cometam erros ao demitir um funcionário, gerando processos de trabalho.

E os tipos de demissão eles são baseados na causa justa, sem justa causa ou pedido de demissão. Com a aprovação do reforma trabalhista recentemente uma nova situação surgiu, que é a renúncia consensualonde ambas as partes se concatenam com a saída.

Neste artigo vamos abordar cada um dos tipos de demissão, com suas diferenças, características e direitos da empresa e do empregador. Verifique!

Conheça os tipos de demissão

No Brasil existem cinco tipos de demissãoquatro deles fornecidos pelo Lei CLT. No entanto, cada situação gera um tipo de vantagem ou desvantagem, seja para o empregado ou para o empregador.

Portanto, fique do lado da empresa como o colaborador decisão de renunciar ou pedir demissão Precisa ser planejado adequadamente.

Como no caso da organização uma demissão pode gerar uma sobrecarga no equipamento, além das despesas com um renúncia sem justa causa Eles são bem altos.

Por outro lado, um colaborador que pede demissão de direitos como o seguro-desemprego e o movimento do desemprego FGTS, por exemplo. Aprenda abaixo os cinco tipos de demissão planejados na CLT.

  1. renúncia por justa causa;
  2. renúncia sem justa causa;
  3. pedido de demissão do funcionário;
  4. acordo entre as partes;
  5. renúncia consensual.

A empresa precisa necessariamente conheça cada um desses tipos de demissão para que possa cumprir com todos os obrigatórios da lei. Agora vamos conhecer os detalhes de cada um deles. tipos de demissão.

>> O Xerpa elaborou um lista de verificação para o processo de demarcação. Com isso, você será capaz de orientar todo esse processo de forma eficaz (e não deixar nada para trás). Clique aqui e baixe a lista de verificação!

1. Demência por justa causa

Entre os tipos de demissãodemissão por justa causa ocorre quando um colaboradorr viola qualquer regra ou regra da organização. Também pode acontecer quando alguma cláusula do contrato é violado.

Entre as principais causas da renúncia por justa causa, Artigo 482 da CLT, são: atos de indisciplina, assédio moral e sexual, violação de segredos da empresa, etc.

Direitos do empregado e obrigações da empresa na renúncia por justa causa

em renúncia por justa causa o colaborador perde numerosos direitos. Como décimo terceiro aviso prévio, seguro desemprego, multa do FGTS e saque desse benefício, além dos feriados proporcionais.

A empresa, em casos de renúncia por justa causa, você só tem que tentar pagamento de saláriorefere-se ao mês trabalhado e aos feriados previstos.

Lembrando que neste caso as férias proporcionais são válidas apenas para quem já completou 1 ano de trabalho na empresa.

2. Dispensa sem justa causa

A renúncia sem justa causa, entre o tipos de demissão, é uma decisão única e exclusivamente da empresa.

Não há uma causa específica para isso ocorrer. Pode ser tanto em termos de redução de custos insatisfação com o trabalho que o profissional está correndo. Ou até mesmo uma decisão estratégica de colocar alguém com mais experiência na vaga em questão.

Entre os tipos de demissão, demissão por justa causa é aquele com os maiores custos para a empresa.

Direitos do empregado e obrigações da empresa na renúncia sem justa causa

A diferença de renúncia por justa causa, onde o empregado perde praticamente todos os direitos, noemissão sem justa causa o profissional terá o direito de receber:

Salário

Valor referente aos dias trabalhados pelo empregado antes de ser demitido pela empresa.

Aviso

No renúncia sem justa causa a empresa precisa notificar o funcionário com 30 dias de antecedência sobre a decisão de sair, o chamado notar. E nesse caso, o empregado receberá mais de 1 mês de salário.

Esses 30 dias pagos podem estar funcionando ou não, se a empresa o liberar antes de 30 dias.

Décimo terceiro proporcional

Antes da partida do colaborador, a empresa precisa relatar quantos meses trabalhou ao longo do ano. Por exemplo, se já passaram cinco meses, direito de receber 5/12 do total do décimo terceiro quem teria direito antes da renúncia.

Férias fornecidas

Enquanto isso em renúncia por justa causa empregados com menos de 1 ano não têm direito a férias proporcionais na partida, em demissão sem justa causa eles têm. E fazer isso é só contar o número de meses trabalhados e adicionar mais 1/3.

Multa do FGTS

Entre os tipos de demissão, a justa causa é a que tem maior valor do FGTS bem pelo depósito da empresa. Nesse caso, a empresa precisa coletar o valor total dos depósitos, no período em que o empregado estava na empresa, e pagar uma multa de 40% sobre esse valor.

Seguro Desemprego

o o empregado demitido adquire o direito de receber de três a cinco parcelas de seguro-desemprego. Para isso você deve ter trabalhado pelo menos 12 meses. E o valor é calculado com base no salário do empregado, veja a tabela aqui.

Horas extras

Se o empregado tiver excedido o tempo de trabalho ao longo dos dias, a empresa deve pagar o horas extras. Em dias extras na semana 50% a mais do que o valor ganho por dia e 100% dos finais de semana são pagos.

3. Pedido de demissão pelo funcionário

O pedido de demissão ocorre quando o profissional, sem motivo aparente, decide deixar a empresa. Entre os tipos de demissãoPelo menos em relação aos benefícios e obrigações legais da empresa, é muito semelhante ao renúncia por justa causa.

Direitos do empregado e obrigações da empresa no pedido de demissão

O empregado que pede demissão da empresa dispensa os direitos como seguro-desemprego e multa de 40% do FGTS e desconta. Sem contar que você precisa cumprir com 30 dias de aviso prévio, se não vai pagar uma multa à empresa.

nós tipos de demissão, o pedido de demissão e que o colaborador tem o direito de receber:

  • Salário por dias trabalhados;
  • Feriados proporcionais mais 1/3;
  • 13 salário proporcional.

5. Acordo entre as partes

O acordo entre as partes é um dos tipos de demissão que não está previsto na lei. No entanto, é bastante comum as empresas aceitarem esse tipo de negociação. No caso, o colaborador deseja deixar a empresa, mas ela não quer fazer a rescisão contratual.

Nesse caso, um acordo é feito para que a empresa atrasar o colaborador sem justa causa de modo que tem direito à direita Seguro-desemprego e serviço ao FGTS.

A empresa, nesse acordo, deposita a multa de 40% sobre o FGTS e o profissional devolve o dinheiro para a organização.

5. Demissão Consensual

O mais recente entre os tipos de demissão é renúncia consensualque faz parte do reforma trabalhista e está planejado no Artigo 484. Neste tipo de terminação de emprego a decisão está de acordo. Ou seja, ambos concordam com a falência do contrato.

As despesas que a empresa tem com o renúncia consensual eles são menores entre outros tipos de demissãocomo demissão injustificada, por exemplo.

Direitos do colaborador e obrigações da empresa na renúncia acordada

Os direitos do colaborador dentro renúncia consensual Eles são semelhantes àquele em renúncia sem justa causa. No entanto, neste caso, o colaboradornão terá direito ao seguro-desemprego e os valores de resgate são menores.

Férias, aviso prévio e 13º salário

em renúncia consensual os montantes de resgate referentes a cada um desses benefícios são pago ao meio.

Multa do FGTS

eNo que diz respeito ao despedimento sem justa causa, a empresa deve depositar 40% do valor dos depósitos, na demissão consensual esse valor cai para 20%.

Glossário do FGTS

em renúncia consensual foi estipulado que o colaborador pode tire 80% do total.

A importância das leis trabalhistas na demissão

Cada um doss tipos de despedimento demandas das empresas a presença de profissionais que possuem grande conhecimento sobre o leis trabalhistas. Qualquer detalhe que passe despercebido pela organização pode gerar futuros processos de trabalho.

O momento de resignação nunca é fácil, no entanto, precisa ser tratado ética e profissionalismo nos dois lados.

Tanto a empresa quanto o colaborador precisam ter um senso de negociação para que ninguém se machuque. Ainda mais com o surgimento de renúncia consensual, que abriu espaço, oficialmente, para maior flexibilidade nos acordos de renúncia.

Demitir não é uma tarefa fácil e pedir demissão, mas não isenta os setores de RH e os próprios funcionários da responsabilidade de conhecer seus direitos. No caso de pagamentos, pela empresa e benefícios, pelo empregado.

Você gostou do nosso artigo? Você assinou nosso boletim informativo para ficar dentro do melhor e mais completo conteúdo de gerenciamento e RH? Assine agora