Entenda o que é um ecossistema empreendedor

O portal DRAFT continua a série que explica as principais palavras do vocabulário dos empresários da nova economia. Estes são termos e expressões que você precisa saber: para conhecer as novas ferramentas que impulsionarão seus negócios ou para ajudá-lo a falar o mesmo idioma que mentores e investidores.

Ecossistema empreendedor

O que eles pensam que é:

Empreendedorismo na área de Biologia

O que realmente é:

Ecossistema empreendedor (ou Inovação) é o ambiente, formado pelas mais diversas partes interessadas do empreendedorismo, em que há interconexão, extinção de hierarquia (equilíbrio) e dinamismo. O conceito não empresta o termo da biologia a toa: assume-se que, como acontece entre as espécies, no empreendedorismo o outro também é necessário para sobreviver. O ambiente do Ecossistema Empreendedor é composto por empresas, governo, instituições de ensino e pesquisa, incubadoras, aceleradoras, associações de classe e provedores de serviços e, é claro, empreendedores.

De acordo com René José Rodrigues Fernandes, professor e gerente de projetos do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getúlio Vargas (FGV-CENN), no Ecossistema Empreendedor, inovação e empreendedorismo são vistos como um processo dinâmico, em que o conhecimento é acumulado através da aprendizagem e interação entre os stakeholders. “Esta abordagem enfatiza a importância da transferência e disseminação de idéias, experiências e informações.”

Fernandes também diz que o Ecossistema Empreendedor – que também pode ser chamado simplesmente de “sistema” – difere dos conceitos de cluster, indústria ou segmento de mercado; o primeiro é heterogêneo e abrange o todo; a segunda lida com grupos de organizações com características semelhantes. Aqui também as formas de uso da hierarquia são distinguidas. “O Ecossistema de Inovação tem uma governança multinível por princípio, isto é, estado, empresas e outras instituições devem cooperar, competir e interagir com interdependência, sem hierarquia.”

Quem inventou:

De acordo com Marcelo Nakagawa, diretor de empreendedorismo da FIAP, a importância de um sistema que incentive o ambiente empreendedor existe desde a origem do espírito empreendedor moderno. “Isso, para a publicação de obras pelo economista austríaco-americano e cientista político Joseph Schumpeter, especialmente o livro A Teoria do Desenvolvimento Econômico .” Atualmente, a principal referência em Ecossistema Empreendedorismo é Professor Daniel Isenberg, da Babson College “, diz ele.

Fernandes cita o texto The Big Idea: Como Iniciar uma Revolução Empreendedora em que Isenberg fez nove e no caso de uma mudança na qualidade de vida das pessoas que vivem em o país. os autores defenderam e propuseram ideias para a criação de sistemas de empreendedorismo. “A partir da década de 1970, alguns autores passaram a usar o termo Ecossistema Empreendedor, que ganhou destaque durante a primeira bolha das pontocom, no final da década de 1990.” O texto de Isenberg é de 2010.

Qual é o uso:

Para entender quem são os jogadores, suas funções, suas interações e os resultados na criação de novos negócios com maior potencial de sucesso. “A partir disso, é possível planejar melhores políticas públicas, interações entre os links e, no final, melhores empreendedores e negócios”, diz Nakagawa.

Quem usa:

Principalmente formuladores de políticas públicas (países, estados, regiões, cidades e até bairros), interessados ​​em desenvolvimento econômico, social e tecnológico. Cidades como Belo Horizonte (com o Vale do São Pedro) e Santa Rita do Sapucaí, também em Minas, usam o termo para identificar e fortalecer as relações entre os stakeholders do empreendedorismo.

Nakagawa diz que, mais recentemente, as empresas se interessaram em incentivar os ecossistemas empreendedores com certos tipos de ações. “E os próprios empreendedores começaram a valorizar a participação ativa, pois perceberam oportunidades de crescimento e investimentos”.

Efeitos colaterais:

Uso indevido do conceito pelo uso de uma visualização macro do sistema. “A noção de ecossistema não pode perder de vista os subsistemas contidos em si e as relações entre esses subsistemas, negligenciando os cortes”, diz Fernandes. Nakagawa afirma que existe a possibilidade de elos que formam iniciativas cartelizadas: “Isso teria efeitos negativos no curto prazo, mas a médio e longo prazo, a tendência é que os lados voltem a se equilibrar”.

Quem é contra:

Nenhum dos dois entrevistados acredita que há alguém que é contra.

Para saber mais:

  1. Leia, em Forbes o texto Introdução ao Ecossistema do Empreendedorismo: Quatro Características Definidoras, no qual Daniel Isenberg responde à pergunta “O que é exatamente esse ecossistema empresarial que é fazendo tanto barulho ultimamente? “
  2. Leia, em Pequenas empresas e grandes empresas 8 passos para desenvolver o ecossistema de inicialização, texto por Felipe Matos.
  3. Leia, em Salon O que um Ecossistema Empreendedor? O texto começa dizendo que o ecossistema empreendedor está se tornando um clichê e continua com críticas e observações.
  4. Leia, no Financial Times São Paulo: o maior ecossistema de start-ups mais forte do Brasil, sobre como a capital de São Paulo abriga empreendedores iniciantes e bem-sucedidos.

Este artigo foi publicado originalmente em DRAFT